Destaque

Vídeo de Haddad falando em subir rampa com Lula é de antes de ex-presidente ser barrado no TSE

(Imagem: Reprodução / CartaCapital)

Vídeo em que o presidenciável Fernando Haddad (PT) afirma que vai subir a rampa em 1º de janeiro com o ex-presidente Lula, que está preso na Polícia Federal de Curitiba, foi tirado do contexto original para parecer uma promessa de campanha dele. A gravação, que tem sido amplamente compartilhada nas redes sociais, no WhatsApp e em sites nos últimos dias, foi gravada em agosto, antes da candidatura de Lula ser indeferida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e quando Haddad ainda era o candidato a vice-presidente na chapa petista.

Para chegar ao vídeo original, o Comprova pesquisou os termos “haddad”, “rampa”, “lula”, “progressistas” e “justiça”, palavras usadas pelo presidenciável, na busca do Google. Além de links recentes tratando a história, apareceram algumas notícias do dia em que ele foi gravado: 6 de agosto de 2018. O segundo passo foi buscar a gravação no Twitter oficial do Lula, onde ele foi divulgado.

No vídeo compartilhado nos últimos dias, Haddad diz: “Fazer do Lula nosso presidente, subir a rampa com ele no dia 1° de janeiro, fazer o país resgatar a sua dignidade, sua esperança, seus sonhos, né?”. Em algumas publicações no Instagram e no Facebook, ele é acompanhado por legendas que dizem que a fala é uma “promessa de campanha”. O vídeo original, porém, tem 58 segundos, 25 a mais do que esse. O trecho suprimido daria indícios, a quem o assistisse, de que a declaração de Haddad fora feita em outro contexto.

“Acabamos de montar as coligações em torno da candidatura do Lula, já temos Pros e PCdoB conosco, PCO apoiando, chapa montada, vai a registro amanhã, aí nós vamos dia 15 levar pro TSE, e eu tenho certeza que o povo brasileiro vai estar cada vez mais engajado na campanha”, diz Haddad antes de mencionar a rampa presidencial.

Isso porque a gravação foi feita no dia 6 de agosto, dois dias após o PT definir a candidatura de Lula em convenção partidária. O TSE só reconheceu a inelegibilidade de Lula em 31 de agosto, e Haddad só assumiu o posto no dia 11 de setembro. A fala, então, não configura uma promessa de campanha, mas uma “torcida” para que a candidatura de Lula fosse deferida, o que não aconteceu.

O vídeo cortado chegou ao WhatsApp do Comprova e de veículos parceiros, mas também foi compartilhado em sites como Renova Mídia e Diário do Brasil. Só no perfil @crispcrispp do Twitter teve mais de 75 mil visualizações e 2599 curtidas desde que foi publicado, na segunda-feira, 8 de outubro. Na página do PSL Rio de Janeiro no Facebook, o vídeo teve 1,2 milhões de visualizações, além de quase 50 mil compartilhamentos.

Projeto Comprova