Política

Suspeito de abuso, padre expulso da Igreja pediu votos para Bolsonaro

Jean Rogers Rodrigo de Sousa foi expulso da Igreja Católica pelo Papa Francisco

O goiano Jean Rogers Rodrigo de Sousa, de 45 anos, perdeu na quarta-feira (20) o estado clerical por ordem do Papa Francisco, o que quer dizer que ele deixa de ser padre após 19 anos. Essa é a punição mais grave da Igreja Católica.

O motivo de Rodrigo ter sido expulso foram as suspeitas de abuso sexual cometidos por ele contra ex-freiras e ex-noviças.

“O sacerdote Jean Rogers Rodrigo de Sousa, desta diocese, recebeu do Santo Padre o decreto de perda do estado clerical e a dispensa das obrigações correspondentes”, diz, segundo a “Folha”, documento assinado pelo monsenhor Guillermo Steckling.

Jean Rogers Rodrigo de Sousa também tem um canal no YouTube, o canal do “Padre Rodrigo Maria”. Mas o conteúdo publicado por ele vai muito além de assuntos religiosos. O agora ex-padre gravou vídeos falando sobre Venezuela, Comunismo na América Latina, “Nova Ordem Mundial” e até sobre o ex-presidente Lula.

Em um vídeo, Jean disse que “ninguém pode seguir Jesus Cristo e Lula ao mesmo tempo”. Ele chegou a elogiar o então juiz Sergio Moro pela condenação ao ex-presidente no caso triplex. Em outro vídeo, publicado durante o período eleitoral, no ano passado, o ex-padre pediu aos seus seguidores que votassem em Jair Bolsonaro na corrida ao Planalto.

NOTICIAS AO MINUTO

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar