Mulher e Beleza

Serena Williams revela complicações pós-parto

© Instagram Serena Williams com a filha Alexis Olympia Jr.

Serena Williams curte os primeiros meses de mãe de primeira viagem e segue se adaptando à nova vida após a chegada da filha Alexis Olympia Ohanian Jr, que nasceu em 1º de setembro do ano passado. Em entrevista à revista americana Vogue, a tenista de 36 anos falou sobre maternidade, casamento e metas esportivas e revelou ter passado por graves complicações pós-parto.

A vencedora de 23 Grand Slams de tênis contou que passou as seis semanas seguintes ao parto sem conseguir sair da cama. As complicações começaram no dia seguinte ao nascimento. Sem tomar seus medicamentos usuais para evitar coágulos no sangue, em razão do parto, ela sofreu forte mal-estar, o que exigiu exames e novos procedimentos. “Ter dado à luz foi um sentimento incrível. Mas depois as coisas ficaram ruins”, contou.

Um início de embolia pulmonar, que pode colocar a vida do paciente em risco, deixou a tenista com muita tosse. E uma das crises abriu o corte da cesariana, gerando rápida hemorragia em seu abdome. Os médicos precisaram fazer nova cirurgia para drenar o sangue e fechar a ferida, e Serena teve de passar as semanas seguintes ao parto na cama.

Recuperada, Serena exibiu com orgulho a criança, fruto do casamento com Alexis Ohanian, cofundador do site de discussões Reddit, mas disse passar por momentos de confusão na nova função. “Ninguém fala sobre os momentos difíceis – a pressão, a incrível decepção toda vez que o bebê chora. Eu desmoronei não sei quantas vezes. Fico irritada com o choro, depois triste por ficar irritada e então me sinto culpada. Por que eu fico tão triste se tenho um bebê lindo? As emoções são insanas.”

Serena relembrou sua dificuldade para alcançar algumas metas na carreira e disse que quer ensinar a filha a ter mais perseverança. “Eu acho que às vezes as mulheres se limitam. Não sei por que pensamos dessa maneira, mas sei que algumas vezes somos ensinadas a não sonhar tão grande quanto os homens, não acreditamos que possamos ser um presidente ou um CEO, quando na mesma casa, um filho do sexo masculino escuta pode ser qualquer coisa que ele quiser. Estou tão feliz por ter tido uma filha. Quero ensiná-la que não existem limites “.

Ela contou ter recebido muitas mensagens de carinho de colegas do tênis, como Caroline Wosniacki, Novak Djokovic e Roger Federer, com quem fez uma brincadeira sobre as dificuldades das atletas mulheres. “Federer produziu quatro bebês e praticamente não perdeu nenhum torneio. Não consigo imaginar onde eu estaria com dois casais de gêmeos agora. Provavelmente no fundo da piscina.”

Objetivo: recorde de Grand Slams

Serena ainda não voltou a competir oficialmente –desistiu de participar do Aberto da Austrália após jogar abaixo do esperado em um torneio de exibição – mas já tem uma meta clara. Com 23 títulos de Grand Slam, seu grande objetivo é alcançar a marca de 25 e superar o recorde da australiana Margaret Court. Depois disso, ela cogita se mudar para São Francisco, onde está a sede do Reditt, o site do marido, e pendurar as raquetes.

“Para ser sincera, a ideia de me mudar para San Francisco e ser apenas mãe é bem atrativa. Mas ainda não. Talvez isso pudesse ser notado, mas precisa ser dito de forma veemente: Eu com certeza quero mais Grand Slams. Eu entendo bem sobre os livros de recordes. Não é segredo que meu alvo são 25. Na minha idade, eu vejo a linha de chegada, mas quando você vê a reta final, não diminui a velocidade. Você acelera.” Em sua última conquista, do Aberto da Austrália do ano passado, Serena já estava grávida de Alexis.

Por Luiz Felipe Castro

Comentar