Policial

Reeducandas da Penitenciária Júlia Maranhão recebem Ação de Promoção à Saúde

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com a Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap) e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), iniciaram nesta segunda-feira (18) uma Ação de Promoção à Saúde das reeducandas da Penitenciária de Reeducação Feminina “Maria Júlia Maranhão”, no bairro de Mangabeira, em João Pessoa. Até o início de março, serão realizados exames citológicos para a prevenção do câncer de colo de útero.

“Rotineiramente, realizamos nos presídios testagens rápidas para sífilis, hepatites virais e HIV; busca de sintomas de tuberculose; ações educativas; saúde bucal; saúde mental entre outros atendimentos. Nesta semana, o foco será 100% na prevenção do câncer de colo de útero e as alterações encontradas serão encaminhadas e acompanhadas pelo Centro de Diagnóstico do Câncer – CEDC”, disse a coordenadora de Saúde Prisional, da SES, Isadora Araújo.

O secretário executivo da Administração Penitenciária, João Paulo Barros, participou da solenidade de abertura da ação e lembrou da importância das parcerias. “É um momento muito importante de oferecer cuidado e espero que as reeducandas aproveitem. Temos boa vontade, garra, determinação para realizar e, principalmente, apoio da SES e UFPB”, explanou.

A equipe que vai trabalhar na ação é formada por médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, psicólogo, dentista, auxiliar de saúde bucal e assistente social. “Somos muito gratos por terem permitido o nosso apoio. No ano passado formamos aqui a primeira turma do Pronatec e estamos no aguardo para iniciarmos novas turmas; tem ainda a ideia de uma horta medicinal e estamos trazendo livros para a criação de um espaço de leitura”, explicou a vice-diretora da Escola Técnica da Saúde, da UFPB, Soraya Pereira.

Para a diretora da Penitenciária, Cinthya Almeida, trabalhar com a prevenção com as reeducandas é muito importante porque elas não tinham o hábito de se prevenir. “Somos muito gratos à SES que dá o apoio necessário para esta importante ação. Prevenir sempre é a melhor opção”, falou.

A reeducanda Larissa Rodrigues, de 25 anos, está na Penitenciária há dois anos e oito meses. “A gente necessitava muito deste exame. Eu já fiz há mais de um ano e agora vou fazer de novo”, falou.

A reeducanda Gezia Marília, de 29 anos, que está na Penitenciária há dois anos e dois meses, também considera a ação importante para o coletivo. “É muito importante pra nossa saúde e pra da colega também”, disse.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar