Cidades

Problema com ‘Minha Casa, Minha Vida’ deve ser resolvido em março

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) confirmou nesta quarta-feira (27), ao Portal Correio, que o programa de habitação do Governo Federal ‘Minha Casa, Minha Vida’ (MCMV) enfrentou problema com o orçamento em janeiro e fevereiro deste ano.

Segundo resposta do Ministério, a situação está prevista para ser normalizada em março, assim como adiantou a gerente regional de construção civil da Caixa Econômica Federal na Paraíba, Aline Paiva, nessa terça (26), a corretores e construtores, mas depende ainda do Ministério da Economia.

Não houve suspensão

O MDR negou que o programa tenha sofrido suspensão de recursos, apesar das queixas de corretores, construtores e clientes que buscam o financiamento habitacional pelo MCMV desde outubro de 2018.

“Não foram suspensos os repasses financeiros do Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) à Caixa Econômica Federal. Em 2019, o MDR liberou R$ 100 milhões para o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), que atende as Faixas 1,5; 2 e 3. E outros R$ 200 milhões foram repassados para o Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), responsável pela Faixa 1 do Programa”, explicou.

O problema

Apesar disso, um decreto, que estabelece a programação orçamentária e financeira de órgãos do Governo Federal, definiu limites orçamentários mensais insuficientes às necessidades de pagamento do Programa para janeiro e fevereiro.

Por isso, foram identificados os problemas relatados por quem precisou do MCMV nesse período. Com relação ao fim de 2018, a Pasta havia adiantado que a situação ocorria porque dependia da publicação da Lei Orçamentária Anual (LOA 2019). A lei já foi publicada, mas a dificuldade continuou.

Solução

Para resolver o problema identificado nos dois primeiros meses do ano e compensar os desembolsos, o MDR disse que a situação será regularizada em março com a antecipação de 75% dos limites de pagamento da Pasta referentes a outubro, novembro e dezembro, no valor de R$ 1,35 bilhão.

“O recurso será utilizado para atender a pagamentos já programados para o período de março a setembro. O pedido de antecipação foi enviado ao Ministério da Economia e está em análise por equipes do órgão”, disse o MDR em texto ao Portal Correio.

FGTS

A Pasta adiantou ainda que, nesta quarta-feira (27), o Diário Oficial da União (DOU) traz a Instrução Normativa nº 6, de 22 de fevereiro de 2019, que dá nova redação a de nº 40, de 28 de dezembro de 2018, do então Ministério das Cidades.

“O documento, que dispõe sobre a alocação de recursos do FGTS para a área de habitação popular, limitava a execução mensal do orçamento do Fundo em 8,3% do valor aprovado para a área da habitação. Com a publicação, a Pasta encerra essa mensalização do limite já a partir de março”.

MCMV continua

O MDR fechou o texto afirmando que está empenhado em aperfeiçoar a Política Nacional de Habitação, o que inclui o Programa Minha Casa, Minha Vida, classificado no texto como “prioridade do Governo Federal”.

“O intuito é integrar o MCMV às demais políticas de governo, focando na qualidade do ambiente construído e em estratégias acopladas ao desenvolvimento”, finalizou.

Entenda o caso

Desde o começo deste ano, profissionais que lidam com negócios imobiliários da Paraíba reclamam que o financiamento pelo MCMV está travado. A Caixa Econômica não comentou a situação e disse que o caso é de responsabilidade do MDR.

De janeiro a fevereiro, os construtores, corretores e outros profissionais do ramo fizeram manifestações em João Pessoa para chamar a atenção para o problema.

Nessa terça (26), eles fizeram mais uma mobilização na Capital e, ao se dirigirem à Caixa, foram informados que os problemas com o MCMV deverão ser resolvidos em março, como confirmado nesta quarta (27) também pelo MDR.

Diante da situação, os corretores e constutores identificaram risco grave de crise econômica no setor imobiliário da Paraíba, com prejuízo, inclusive, na geração de pelo menos 30 mil empregos no estado.

PORTALCORREIO

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar