Sexualidade / Comportamento

Por que os vibradores custam tão caro?

Existem vibradores de todos os tipos, tamanhos e preços, é verdade. Mas se formos pesquisar as marcas mais badaladas, às vezes nos deparamos com preços de três dígitos. E aí é aquele susto: vale a pena mesmo investir em um prazer tão caro? Por isso, inclusive, que tem sex shop criando test drive de brinquedo erótico.

A economista Itali Pedroni explica que vários fatores são levados em conta na hora de precificar um produto: o custo do material para fabricar, o da mão de obra para produzir, o de logística para transportar para loja e os custos de manter a fábrica como eletricidade, aluguel, etc.  “E, por último, o valor subjetivo da marca. Uma marca desconhecida não consegue cobrar muito mais do que o seu custo de produção, mas uma marca famosa consegue. É por isso que um vibrador pode custar o dobro que outro embora não tenha custado o dobro para produzir”, ressalta. Neste caso, a economista destaca o fator inovação. “Se você desenvolve uma tecnologia nova isso pode custar caro. As áreas de desenvolvimento de produtos registram inovações com patentes, por exemplo, e isso dá direito à empresa de produzir com exclusividade, podendo aumentar o preço do produto já que será o único ofertante dele”, diz. O valor da exclusividade acaba pensando no bolso do consumidor.

Outro aspecto que afeta é o imposto sobre o produto. No caso dos vibradores, o ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) que incide é de 18% mais a contribuição do PIS/Cofins de 5%. Se for nacional, tem ainda o IPI (imposto Sobre Produto Industrializado) que representa cerca de 5%. E, no caso dos estrangeiros, os impostos sobre produtos importados, que representam mais ou menos a mesma porcentagem.  A professora de Direito da Fundação Getúlio Vargas e diretora do Centro de Cidadania Fiscal, Vanessa Canado, explica que é impossível calcular as cargas tributárias de um produto no Brasil. “São muitas variáveis e é inviável fazer o cálculo real. Tudo depende da peculiaridade do produto. Por isso a variação muda tanto”, diz. Nos Estados Unidos, o Satisfyer custa 59 dólares enquanto no Brasil o mesmo produto custa 500 reais. Vanessa esclarece a diferença entre os dois países: “Nosso sistema é muito peculiar de tributação de produtos e serviços. Lá o imposto é adicionado após a compra enquanto aqui é fragmentado, disperso e confuso antes da venda ao consumidor final”, diz.

 

 

Cosmopolitan