Noticias

MPF-PB investiga contas de campanha de radialista candidato a deputado federal

O Ministério Público Federal (MPF) na Paraíba investiga as contas eleitorais do candidato a deputado federal Emerson Machado Lima, conhecido como Mofi, nestas Eleições 2018. Conforme publicação no Diário Eletrônico do MPF nesta quinta-feira (6), o Sistema de Investigação de Contas Eleitorais apontou as contas do candidato pelo Avante no módulo “conta suja”.
De acordo com o procedimento preparatório eleitoral instaurado pelo MPF, assinado pelo procurador Sérgio Rodrigo Pimentel de Castro Pinto, as contas de Mofi apresentaram duas supostas irregularidades. Foram identificadas doações de campanha de duas pessoas que constam como desempregadas, indicando falta de capacidade econômica.
Além do primeiro problema, as contas de campanha de Emerson Machado indicaram um pagamento eleitoral realizado por uma pessoa com relação de parentesco com o candidato, revelando indícios de suspeita de desvio de recursos.

O candidato a deputado eleitoral Mofi explicou que as pessoas que constam na lista do Caged como desempregadas e que fizeram doações de campanha são seu irmão, que trabalha como profissional autônomo, e sua mãe, que é funcionária pública aposentada e pensionista. No terceiro caso, o pagamento de campanha foi feito pela prestação de contas de uma mulher que trabalhou para o candadito.

“Minha mãe fez uma doação de R$ 1 mil e meu irmão, que é autônomo, trabalha como pintor, doou algo em torno de 360. No caso do pagamento de Maria Eduarda, ela trabalhou na campanha e fizemos o pagamento de R$ 1.900. Irei apresentar os contracheques da minha mãe e o comprovantes de pagamento a pessoa que trabalhou”, explicou.

O candidato a deputado federal deve prestar esclarecimentos ao Ministério Público Federal. Mofi obteve 33.049 votos, cerca de 1,66% dos votos válidos da Paraíba, nas Eleições 2018, mas não foi eleito.