DestaqueMulher e BelezaSaúde

Menopausa: Você está preparada?

A menopausa é um estágio natural da vida que todas as mulheres passam a partir de uma certa idade. Menopausa é quando os ovários deixam de funcionar, ou seja, quando eles deixam de produzir os hormônios estrogênio e progesterona. A principal característica da menopausa é a cessação da menstruação.

Climatério
O climatério é a fase da vida em que ocorre a transição do período fértil para o não-reprodutivo. Um pouco antes da mulher entrar na menopausa, os níveis de estrogênio começam a diminuir e provocam mudanças no ciclo menstrual. Para muitas mulheres esse processo começa silenciosamente depois dos 40 anos — geralmente entre 45 e 55 anos. Algumas mulheres podem apresentar um quadro mais acentuado de sinais e sintomas, porém todas chegarão à menopausa. Normalmente os sintomas da menopausa permanecem por 10 anos, mas há casos em que dura muito mais tempo.

Sintomas da Menopausa
A redução progressiva do estrogênio, que acontece na menopausa, promove efeitos profundos no organismo. Em muitos casos, essa deficiência de estrogênio gera diversos sintomas:

Ondas de calor
Diminuição do desejo sexual
Suor noturno
Ressecamento vaginal
Irregularidade dos ciclos menstruais
Insônia
Irritabilidade
Ansiedade
Depressão
Aumento do risco cardiovascular pela diminuição dos níveis de estrogênio
Osteoporose (diminuição da quantidade de massa óssea — que torna os ossos frágeis e mais propensos a fraturas).

Dicas para Amenizar os Sintomas da Menopausa
Acabar com os incômodos que surgem no final do período fértil feminino não é mais sinônimo de riscos à saúde. Seguem algumas maneiras de se atenuar os sintomas da menopausa.

1. Reposição Hormonal

Vantagens da Reposição Hormonal
Uma boa terapia hormonal compensa a baixa nos hormônios, evitando transtornos físicos e psicológicos. A reposição hormonal é fundamental para a diminuição dos sintomas da menopausa. A base do tratamento é a reposição de estrogênio, que apresenta as seguintes vantagens:

Ajuda a equilibrar a produção e a reabsorção do tecido ósseo.
Fortalece os tecidos da parede vaginal e melhora a lubrificação.
Aumenta a elasticidade das paredes da uretra e a eficiência do sistema excretor.
Estimula a produção de colágeno, substância que dá elasticidade e viço.
Ajuda a manter a temperatura do corpo estável.
Melhora o sistema cardiovascular.
Melhora a aparência da pele e a queda de cabelo.
Desvantagens da Reposição Hormonal
Custo elevado do tratamento.
Tratamento prolongado.
Volta da menstruação e TPM em algumas mulheres.
Agravamento da possibilidade de câncer de mama em mulheres suscetíveis.
A Terapia de Reposição Hormonal nunca deve ser iniciada e abandonada sem supervisão médica. As vantagens da Terapia de Reposição Hormonal só são obtidas se seu uso for supervisionado e continuado.

2. Dieta

Os alimentos têm um grande impacto na saúde do organismo em qualquer fase da vida, por isso, na menopausa, eles podem ser aliados na saúde e busca pelo bem-estar. Refeições equilibradas e diversificadas auxiliam a manter o peso e dar mais disposição, pois há mais oferta de nutrientes de forma natural.

Além disso, preferir alimentos menos industrializados e mais frescos — como frutas e verduras — auxilia no controle da glicemia e da pressão, refletindo também no funcionamento e equilíbrio dos sistemas corporais. A forma de comer também pode impactar no organismo. Por isso, evite passar longas horas sem se alimentar, ou então comer exageradamente, fazendo refeições muito grandes (pois o excesso de calorias pode acentuar os fogachos).

Vitamina E: O efeito da vitamina E na redução dos sintomas da menopausa é comprovado. Muitos médicos sugerem que mulheres que estão atravessando a menopausa tomem 800 IU de vitamina E por dia por um período de teste de três meses, para ver se os sintomas se reduzem. Em caso positivo, a dosagem é continuada.

Cálcio: A suplementação diária com cálcio ajuda a reduzir dores de cabeça, irritabilidade, insônia e depressão relacionadas à menopausa. Além disso, deficiências de cálcio, que levam à osteoporose, são mais comuns em mulheres pós-menopausa. Osteoporose é uma condição séria caracterizada por ossos fracos. Diversos estudos já foram publicados confirmando que a suplementação com cálcio pode retardar ou até impedir o desenvolvimento da osteoporose. Por isso, cálcio é um dos suplementos mais consumidos por mulheres. O consumo desse suplemento é geralmente de 500 a 1500 mg por dia.

Linhaça: A linhaça ajuda a aliviar os sintomas da menopausa. É rica em ácidos graxos Ômega 3, sais minerais e vitaminas. A linhaça auxilia na regularização do intestino, tem ação antiinflamatória, aumenta a atividade do sistema imunológico, além de possuir uma substância que protege contra tumores de mamas, ovários e próstata.

Magnésio: Alimentos ricos em magnésio sao essenciais. A deficiência deste mineral no organismo resulta em fadiga e carência de enzimas envolvidas na produção de energia. Prova disso é que uma pesquisa do Instituto de Psiquiatria da Inglaterra, que mostrou que os níveis deste mineral são mais baixos em pessoas que sofrem de depressão. As oleaginosas (nozes, castanhas, amêndoas) e peixes, como atum e salmão, são ricos nesse mineral. Porém, no Brasil, o solo é muito pobre em magnésio e o ideal seria fazer a suplementação.

Chá branco: O chá branco, mais rico em catequinas que o chá verde, tem um efeito antioxidante aumentado, potencializando funcionamento hepático, eliminação de toxinas do organismo e normalização de lipoproteínas (lavacolesterol). Suas substâncias antioxidantes também aumentam o metabolismo basal, auxiliando no controle do acúmulo de gordura visceral, que é tão comum em mulheres na menopausa.

Gorduras boas: Elas estão no azeite de oliva e em outros óleos vegetais, assim como nos peixes – atum e sardinha são exemplos. No lanche, vá de oleaginosas, como amêndoas e castanhas, que também têm gorduras positivas. O trunfo delas é que ajudam a resguardar os vasos. Inclua também o abacate e o óleo de coco.

Vitamina D: Se não conseguir tomar sol pelo menos 20 minutos por dia, o ideal é suplementar a vitamina D. Ela é super importante porque participa da metabolização e absorção do cálcio, mantendo a saúde dos ossos, além de agir nas atividades neuronais.

Complexo B: O complexo B é formado por 12 vitaminas que podem ser encontradas em alimentos como semente de girassol, fígado, feijão, cereais integrais, leite, ovos e gérmen de trigo, atum, frango e carne vermelha. Devido à diversidade do complexo B, as vitaminas atuam em diferentes mecanismos e participam de inúmeras funções no organismo. O reforço do complexo B pode auxiliar a reduzir a ansiedade, a depressão, os fogachos, melhorar a saúde óssea e dos tecidos, além de melhorar a formação celular e prevenir sintomas e doenças decorrentes (como enemias ou fraquezas).

3. Mudança no Estilo de Vida

Exercícios físicos: As mulheres sedentárias estão mais propensas a ter ondas de calor do que as mulheres que se exercitam. Em um experimento, os sintomas da menopausa foram reduzidos imediatamente após o início da prática de exercícios físicos, de qualquer tipo. O importante é ter uma vida mais ativa.

Parar de fumar: Fumar pode estar muito relacionado às ondas de calor em mulheres que estão passando pela menopausa. Estudos preliminares mostram que muitas das mulheres com ondas de calor são fumantes. Outro estudo mostra que grande parte das mulheres que buscam reposição hormonal são fumantes.

Sono adequado: Uma boa noite de sono é importante para restaurar a energia, equilibrar os hormônios, manter os níveis de cortisol sob controle e reduzir a ansiedade ou a depressão. A ioga e meditação são boas ferramentas para ajudar nessa fase da vida.Se você tiver problemas para dormir (como muitas mulheres na menopausa), tente usar óleos essenciais de balanceamento de hormônios como lavanda, gerânio e camomila. O uso da melatonina para regular o sono é também uma excelente medida. Tente ler um livro, escrever um diário, tomar suplementos a base de magnésio, ou tomar um banho quente antes de dormir.

Práticas de redução do estresse da mente e do corpo: Os problemas de sono, a ansiedade, fadiga e a depressão tendem a aumentar durante a transição para a menopausa. Por isso é importante gerenciar o estresse da melhor maneira possível. As formas de fazer isso incluem calmantes naturais do estresse, como se exercitar, passar tempo ao ar livre, meditar, buscar apoio social, participar de uma causa útil ou se voluntariar, ler algo inspirador e edificante e fazer algo criativo.

 

 

 

 

 

Beleza e Saúde

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar