Noticias

Homens vítimas de assalto vão participar de pesquisa acadêmica sobre transtorno

Foto - Pixabay

Homens com idade entre 18 e 55 anos que foram vítimas de assalto a mão armada serão alvo de uma pesquisa feita em Natal pelo Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. O estudo com os voluntários vai avaliar sintomas de Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT), causado pela violência.

De acordo com o instituto, o distúrbio se caracteriza por um conjunto de sinais e sintomas físicos, psíquicos e emocionais em decorrência de um trauma e é bastante comum. Por isso, o Laboratório de Endocrinologia Comportamental do Instituto do Cérebro, abriu inscrições para homens que tenham sido vítimas de assalto a mão armada para participar da pesquisa, com objetivo de ajudá-los a superar ou descobrir a evidência do problema.

Com o título “Análise dos sintomas clínicos e de marcadores biológicos associados à intervenção pela técnica de Experiência Somática (SE) no tratamento do Transtorno de Estresse Pós-Traumático em vítimas de assalto na cidade de Natal-RN”, a pesquisa investiga as contribuições da intervenção corporal utilizando uma técnica de experiência somática. O estudo é conduzido pela psicóloga, estudante de doutorado, Ana Kelly Almeida, que trabalha com psicologia somática.

Os interessados poderão procurar a sala do PesqClin, no 2º subsolo do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) nos dias 12, 19 e 26 de novembro e 3 de dezembro, das 9h às 12h30 e das 13h30 às 16h30. Para se enquadrar nos requisitos da pesquisa, além da idade entre 18 e 55 anos, o trauma tem de ter acontecido há mais de 30 dias.

Após triagem, caso haja diagnóstico confirmado, os participantes receberão atendimento psicológico gratuito durante dois meses.

G1 RN