DestaqueSaúde

FESTAS JUNINAS: Substâncias inadequadas em queimaduras podem agravar o dano causado à pele, afirma dermatologista   

Comidas típicas, arrasta pé, fogueiras na porta de casa com as crianças brincando em volta e, no céu, o colorido dos fogos de artifício dão vida aos festejos juninos, tão comemorados em todo o Nordeste. Porém, é nesses dois últimos casos que moram os maiores perigos de acidentes que geram as queimaduras. E quando elas aparecem é comum ouvir coisas do tipo “passa pasta de dente”, “margarina”, “manteiga”, “clara de ovo” e tantas outras opções. Mas, a dermatologista do Hapvida Saúde, em João Pessoa, Marília Aranha, faz um alerta e explica que nenhum produto deve ser passado sobre o ferimento.

“Não é correto passar nenhuma substância na área da queimadura. Pois, além de agravar o dano causado à pele queimada, substâncias como pasta de dente, margarina, manteiga, pó de café e tantas outras podem favorecer uma infecção secundária”, alerta.

A especialista orienta que a medida mais correta em casos de queimadura por causa de fogos de artifícios é levar a vítima para um local seguro, longe de fogo e fumaça, verificar se a pessoa se encontra consciente e orientada e, a partir daí, lavar imediatamente o local queimado com água corrente em temperatura ambiente. Após esse procedimento, a vítima deve ser encaminhada ao hospital mais próximo para receber os cuidados médicos adequados e especializado.

Marília Aranha afirma que além de causar destruição da barreira cutânea de proteção ao organismo, as queimaduras podem levar a amputação de membros e até mesmo a morte, nos casos mais graves.

Causas – As principais causas de acidentes com fogos de artifício estão relacionados ao manuseio por crianças, armazenamento de fogos de artifício (pólvora) em locais inadequados; soltá-los em ambientes fechados ou sem esquema de segurança e brigada contra incêndio.

Tratamento – A dermatologista explica que o tratamento e o processo de recuperação de uma vítima de queimadura vai sempre depender do tipo de queimadura, que pode ocorrer em primeiro, segundo e terceiro grau e, também, da porcentagem da superfície corporal queimada. “Queimaduras mais superficiais e pequenas podem exigir apenas limpeza com produtos adequados e uso de medicamentos cicatrizantes. Já queimaduras profundas e/ou extensas podem exigir internamento hospitalar em leito de terapia intensiva”, esclarece.

A especialista ressalta que, dependendo do grau da queimadura, outras especialidades médicas, como cirurgia plástica e ortopedia também podem ser necessárias para o restabelecimento do paciente. “As cicatrizes de queimaduras podem ter boa evolução com rápida recuperação da barreira cutânea e estética da área queimada, mas também podem evoluir mal levando a cicatrizes inestéticas e muitas vezes com restrição de movimento de um membro ou de áreas do tronco devido à fibrose causada”, afirma.

Prevenção – Queimaduras com fogos de artifício, principalmente, em época de festejos juninos infelizmente ainda são muito comuns de ocorrer e as crianças são as principais vítimas porque, segundo a dermatologista, só enxergam a brincadeira e não percebem o perigo. Por isso, Marília Aranha deixa o alerta: “É de extrema importância a conscientização da população e principalmente dos pais de que crianças não devem manusear fogos de artifício, principalmente sozinhas”, conclui.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar