DestaquePolítica

Extinção da Empasa poderá provocar desabastecimento de alimentos em cidades polos

A deputada estadual Camila Toscano (PSDB) destacou, nesta quarta-feira (27), o problemas que os paraibanos terão, principalmente os agricultores, com a extinção da Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas (Empasa) pelo Governo do Estado por meio da Medida Provisória 275/2019. Segundo a parlamentar, existe uma série de questionamentos e dúvidas sobre a decisão de extinguir a Empasa não explicadas pelo Poder Executivo. A parlamentar teme que a decisão prejudique diretamente o homem do campo e a população que vive nos grandes centros com o desabastecimento de alimentos.

“A extinção da Empasa pode gerar uma série de prejuízos para os paraibanos como o desabastecimento de produtos agrícolas causado com o fim das Ceasas de João Pessoa, Campina Grande e Patos, afetando diretamente os produtores rurais. Isso tudo precisa de uma explicação do Governo do Estado que até o momento não revelou as reais intenções de extinguir a empresa”, destacou a deputada.

Outra preocupação demonstrada pela parlamentar é quanto aos servidores da Empasa, alguns com mais de 40 anos de trabalho. Segundo ela, os servidores tem o regime trabalhista celetista e portanto, não podem ser absorvidos por outros órgãos do Estado, como defende a MP 275. “É preciso observar tudo isso antes de apenas extinguir a empresa que presta relevantes servidos aos paraibanos”, observou.

Para o vice-presidente da Associação dos Funcionários da Empasa (Assempasa), José Humberto de Sousa Freitas, a situação, tanto da empresa, como dos agricultores e dos funcionários é preocupante. “Temos que debater essa situação com o Governo do Estado, mas eles não nos recebe. Seria interessante participarmos e colocarmos esse tema na audiência pública que vai acontecer na Assembleia Legislativa no dia 7 de março”, disse, acompanhado por Luiz Carlos Matos e Rilva Lúcia Pereira, integrantes da Assempasa.

A deputada Camila Toscano disse que levará o problema da Empasa para o debate na audiência pública que também vai discutir a extinção da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater), da Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba S/A (Emepa), e do Instituto de Terras e Planejamento Agrícola do Estado da Paraíba – (Interpa).

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar