Sexualidade / Comportamento

Barbeiro peladão é sucesso por cortar cabelo totalmente nu: "A ereção acontece"

O barbeiro Rafael Rosa, de 25 anos, está chamando atenção nas redes sociais e atraindo clientes de várias partes do Brasil para São Paulo, tudo porque ele corta o cabelo de seus clientes com pouquíssima roupa ou totalmente nu . A ideia surgiu ano passado e um vídeo do rapaz cortando o cabelo de um amigo tornou a sua inusitada forma de atendimento muito conhecida.

“Eu já tinha feito ensaios fotográficos de nu artístico e daí surgiu a ideia de cortar o cabelo dessa maneira e logo começou a aparecer clientes interessados no meu serviço. A primeira vez cortei usei um jockey, não estava totalmente pelado, e, desde então, esse estilo se tornou frequente”, afirma o barbeiro em entrevista ao iGay.

Com tanto interesse, Rafael precisou tabelar as formas como corta o cabelo e o valor do serviço depende do que o cliente procura. O profissional cobre R$ 60 para fazer um corte vestido, R$ 80 para um corte usando jockey, calcinha ou avental e para ficar totalmente nu o valor é R$ 120. Para fazer a barba, os valores são diferentes: vestido custa R$ 40, com as peças íntimas ou avental é R$ 60 e nu é R$ 80.

Rafael conta que cada cliente tem uma reação diferente a nudez e isso torna tudo mais interessante. “Tem gente que vem mais interessada em ver e vivenciar isso, mas tem clientes que ficam nus também, vai de pessoa para pessoa, umas são mais desinibida e outras mais tímidas. Tem gente, por exemplo, que começa só de cueca e depois tira quando se sente à vontade. Posso dizer que a maioria dos clientes também fica nu.”

Como a nudez ainda é vista como um grande tabu, essa forma de cortar o cabelo é muita vezes sexualizada e, por isso, Rafael já passou por situações um pouco desagradáveis. “O assédio acontece sim, mas a maioria dos clientes me trata com respeito”, garante.

Por outro lado, durante os cortes de cabelo, a ereção costuma ser frequente e isso não incomoda Rafael, que é assumidamente gay. “Na maioria das vezes a ereção acontece, às vezes no cliente, às vezes em mim mesmo. Tudo vai da química que acontece no momento. Sinceramente, rola sexo algumas vezes, é normal, sou solteiro, um homem bem resolvido e tenho minhas vontades”, enfatiza.

De acordo com o jovem, existe uma barbearia em Sidney, na Austrália, em que todos os profissionais atendem os clientes pelados e que isso é algo natural, sem deixar de chamar atenção. “Acredito que possa virar uma tendência. Já vieram vários barbeiros e cabeleireiros me dizer que se eu abrir algo maior e precisar de assistentes ou mais profissionais eles estão disponíveis para trabalhar dessa forma [nus].”

Para o profissional, o seu trabalho é bem tranquilo e acha interessante vivenciar essa experiência e ver como cada pessoa reage nudez. “A repercussão está sendo muito boa e a curiosidade está atraindo cada vez mais pessoas com interesse em conhecer, inclusive de outras cidades, estados e até países”, afirma.

Agora, o barbeiro pretende levar seu trabalho para outros lugares fora de São Paulo. No final de outubro, por exemplo, ele vai para o Rio de Janeiro e, em 2019, ele pretende visitar outros países para divulgar essa diferente forma de cortar o cabelo.

 
Fonte: iGay

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar