Política

Planalto vê Luciano Huck como candidato, mas Globo não quer Angélica no ar

Auxiliares de Michel Temer dão a candidatura de Luciano Huck ao Planalto como certa –só há dúvidas sobre o partido escolhido. No tucanato, aliados de Geraldo Alckmin dizem não acreditar que o novato tenha a couraça grossa o suficiente para encarar a luta. Nos bastidores do PPS, sigla que negocia com o apresentador, aposta-se em uma filiação no dia 7 de abril. A Globo quer o fim do impasse. Avisou que se Huck escolher a política, sua mulher, Angélica, também terá que sair do ar.

Em conversas com políticos, executivos da TV Globo têm feito questão de demonstrar descontentamento com a situação e narram ter deixado claro a Huck que não querem ser arrastados para o debate eleitoral.

Em meio aos rumores sobre a candidatura do apresentador, o programa “TáxiGov”, do Planejamento, virou piada. A brincadeira na Esplanada é que já estão criando as bases para a gestão que terá Angélica como primeira-dama.

Fernando Henrique Cardoso telefonou para Alckmin para minimizar o desconforto causado por seu flerte com Huck.

Painel/Folha de S. Paulo

Comentar