Sexualidade / Comportamento

Masturbação é um hábito saudável? Veja pontos positivos e negativos

Cerca de 40% das mulheres brasileiras não se masturbam, e 20% nunca experimentaram se tocar. Já entre os homens, apenas 17,3% não se masturbam, segundo a pesquisa “Mosaico 2.0”, divulgada em 2017 pelo Programa de estudos em Sexualidade (Prosex) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo.

No levantamento, 3 mil participantes com idades entre 18 e 70 anos foram ouvidos, em sete regiões metropolitanas: São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Salvador, Belém, Porto Alegre e Distrito Federal.

Mas afinal de contas, por que os seres humanos e outros animais – como primatas e elefantes – evoluíram para desenvolver a masturbação? À primeira vista, o comportamento pode não parecer biologicamente lógico, já que representa um desperdício de energia e material genético (no caso dos homens), pois nem ao menos resultará em herdeiros. Mas há, sim, benefícios físicos e mentais, tanto para homens quanto para mulheres.

Para começar, é muito saudável estar confortável e conhecer o próprio corpo, descobrindo o que causa prazer ou não. Não seria justo para seu parceiro ou parceira ter que descobrir tudo isso sozinho na hora do sexo. Seu corpo deve ser seu melhor amigo, já que vai te acompanhar pela vida toda.

Em segundo lugar, a masturbação alivia a ansiedade e estresse tanto para homens quanto para mulheres, já que libera dopamina e outros hormônios do prazer.

Para as mulheres, a masturbação até ajuda a cair no sono mais rápido e, em alguns casos, pode diminuir as dores das cólicas menstruais. Para elas, a masturbação não traz nenhum efeito negativo.

Já para os homens, os benefícios já foram atestados por inúmeras pesquisas que dizem que a masturbação diminui o risco do câncer de próstata, previne a incontinência e disfunção erétil, e ainda melhora o sistema imunológico. Praticar a masturbação com muita força, velocidade ou pegada que são muito diferentes do que será encontrado no sexo, porém, pode dificultar o orgasmo no relacionamento a dois.

Quanto ao “desperdício” do sêmen com a masturbação, livrar-se dos espermatozoides mais velhos acaba sendo mais vantajoso para o homem, além de não diminuir a taxa de fecundação.

Um problema que pode atrapalhar tanto homens quanto mulheres é se o hábito tomar tanto tempo que influencie na vida pessoal e profissional da pessoa, tomando o tempo que deveria ser dedicado a socializar, estudar ou trabalhar, por exemplo.

Então coloque uma musiquinha relaxante, acenda umas velas, e dê a si mesmo uma boa noite.

Por Hype science

Comentar